Análise do perfil do uso de agrotóxicos no estado do Mato Grosso Do Sul, políticas públicas relacionadas e impactos na saúde da população.

Autores

  • Jéssica Thayssa Ferreira de Almeida UNIDERP https://orcid.org/0000-0003-3320-8062
  • Vanessa Amorim Rodrigues Kohl Lander Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp
  • João Marcos de Souza Martins Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp
  • Karoline Araujo Carvalho Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp https://orcid.org/0000-0002-9724-7274
  • Alexandre Bento Barbosa Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp
  • Isabela Kemp Chacarosque Gonçalves Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp
  • Pedro Henrique Trindade Monteiro Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp
  • Dra. Mariana de Oliveira Mauro Profa do curso de Medicina Uniderp
  • Dener Rocha Moreira Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp

DOI:

https://doi.org/10.47224/revistamaster.v8i15.264

Palavras-chave:

agrotóxicos, políticas públicas, impacto da saúde

Resumo

O presente estudo buscou retratar o uso de agrotóxicos no estado do Mato Grosso do Sul, assim como abordar as questões legislativas que dão o suporte para seu consumo e distribuição. Foram analisados diversos artigos com intuito de comparar como os agrotóxicos mais utilizados no contexto estadual poderiam influenciar na saúde da população. Observou-se que mesmo com as legislações vigentes ainda há uso exacerbado de agrotóxicos de alta toxidade que são proibidos em outros países. Nesse contexto, surge a importância deste estudo para a saúde da população, oferecendo subsídios epidemiológicos aos profissionais de saúde para o diagnóstico precoce das intoxicações agudas e das consequências crônicas, principalmente relacionadas à população rural que trabalha diretamente com estes produtos. Possibilita, também, o devido suporte aos profissionais ambientais, procurando motivá-los a buscar meios alternativos para garantir a continuidade do crescimento da produtividade da agricultura no Estado, setor que é estratégico da sua economia, com base em princípios da sustentabilidade ambiental e de prevenção e promoção da saúde coletiva. Diante deste cenário, cabe levantarmos o questionamento de como equilibrar  produções agrícolas eficientes e a segurança da população, visto que  Mato Grosso do Sul é o Estado que mais utiliza agrotóxicos na agricultura, num país que lidera os rankings mundiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabela Kemp Chacarosque Gonçalves , Medicina, Universidade Anhanguera Uniderp

isabelakemp@hotmail.com

Referências

ALMEIDA, M. D. et al. A flexibilização da legislação brasileira de agrotóxicos e os riscos à saúde humana: análise do Projeto de Lei nº 3.200/2015. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 33, n. 7, 2017 .
ABRASCO – Associação Brasileira de Saúde Coletiva. Dossiê: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde (partes 1 e 2). São Paulo: Editora expressão popular, 2015.
AMARANTE JUNIOR, O. P. de. et al. Glifosato: propriedades, toxicidade, usos e legislação. Quím. Nova, São Paulo , v. 25, n. 4, p. 589-593, Julio 2002 .
ANDRADE FILHO, A; CAMPOLINA, D; DIAS, M. B. Toxicologia na Prática Clínica. São Paulo, Folium Editorial, 2013. 675 p.
ANVISA. Nota técnica sobre reavaliação de abamectina química com agrotóxicos em área urbana. Brasília, Anvisa, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2019/aberto-prazo-da-consulta-publica-sobre-abamectina. Acesso em 05 nov 2020.
BARCELOUX, D. G.; BARCELOUX, D. Manganese. Journal Of Toxicology: Clinical Toxicology, [S. L], p. 293-307. ago. 1999.
BIZERRA, P. F. V.; GUIMARÃES, A. R. J. S.; MAIOLI, M. A.; MINGATTO, F. E. Imidacloprid affects rat liver mitochondrial bioenergetics by inhibiting FoF1-ATP synthase activity, Journal of Toxicology and Environmental Health, [S. L.], v. 81, n. 8, p. 229-239, fev. 2018.
BRASIL. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Secretaria de Vigilância em Saúde. Relatório Nacional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos. 2. ed. Brasília: Editora Ms, 2018.
BRASIL. Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989. Brasília, DF, 11 jul. 1989
BRASIL. Decreto n.º 4.074 de 04 de janeiro de 2002. Regulamenta a Lei nº 7.802/89 (lei federal dos agrotóxicos). Brasília, DF, 8 ago. 2002.
BRASIL. Resolução - RDC Nº 177, de 21 de setembro de 2017. Brasília, DF 22 set. 2017.
BRASIL. Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. Manual De Vigilância Da Saúde De Populações Expostas A Agrotóxicos. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 1997. 72 p.
CARVALHO, M. M. X.; NODARI, E.S.; NODARI, R.O. “Defensivos” ou “agrotóxicos”? História do uso e da percepção dos agrotóxicos no estado de Santa Catarina, Brasil, 1950-2002. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.24, n.1, jan.. 2017, p.75-91
CAMPANHOLA, C.; BETTIOL W. Panorama sobre o uso de agrotóxicos no Brasil. In: Programa de defesa ambiental rural. 1a Ed. v. 1. Brasília: Fórum Nacional de Secretários de Agricultura; 2002.
CONSELHO NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Direito Humano à Alimentação Adequada no Brasil: indicadores e monitoramento da constituição de 1988 aos dias atuais. Brasília, DF. Nov. de 2010 .
DALLA ROSA, V. M. Avaliação de toxicidade do fungicida clorotalonil e do inseticida clorpirifós em solos subtropicais brasileiros. 2018. 81 p. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo, Lages, 2018.
DA SILVA FILHO, J.; AVELINO, A. M; ALBUQUERQUE, I. M. N.; PINTO, V. P. T. Intoxicação alimentar provocada pelo consumo de tapiocas contaminadas com carbamato em Sobral, Ceará, Brasil. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 7, n. 1, 2008.
DA ROCHA, M. S; DODMANE, P. R; PENNINGTON, K.L; QIU, F; CAMARGO, L. L. V; COHEN, S. M. Diuron metabolites and urothelial cytotoxicity: in vivo, in vitro and molecular approaches. Toxicol, 314(2-3), p. 238-246, 2013.
DUTRA, L. S.; FERREIRA, A. P. Saúde em Debate. Tendência de malformações congênitas e utilização de agrotóxicos em commodities: um estudo ecológico, [S. L.], v. 43, ed. 121, 2019.
FERNANDES, R. C.; MEDICI, E. P.; TESTA, J. C.; CANEMA, A. C. Impacto de agrotóxicos e metais pesados na anta brasileira (Tapirus terrestris) no estado do Mato Grosso do Sul, Brasil, e implicações para saúde humana e ambiental. Mato Grosso do Sul: Instituto de pesquisas ecológicas (IPÊ), 2018.
FERREIRA FILHO, L. I. P. Alterações citogenômicas na medula óssea de trabalhadores rurais expostos a agrotóxicos. Dissertação (Mestrado Ciências Médicas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013.
FROTA, M. T. B. A.; SIQUEIRA, C. E. Agrotóxicos: os venenos ocultos na nossa mesa. Caderno de Saúde Pública., [s. l.], v. 37, ed. 2, 2021.
GUIMARÃES, A. R. J. S. Citotoxicidade Induzida Pelo Inseticida Imidacloprido Em Células Hepg2. 2020. 54 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Biologia, Universidade Estadual Paulista, Dracena, 2020.
GIACOMAZZI, N.; COCHET, N. Environmental impact of diuron transformation: a review. Chemosphere, v. 56, p. 1021-1032, 2004.
GURGEL, A. M. Os efeitos neurotóxicos dos agrotóxicos organofosforados e o sistema de regulação estatal: da dúvida científica à ocultação de perigo para a saúde humana. 2017. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Instituto Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2017.
HAYES, W. J.; LAWS, E. R. Handbook of pesticide toxicology. In: (Ed.). Handbook of pesticide toxicology: Academic Press, 1991.
HAYES, Wayland J.; Pesticides Studied in Man. 2. ed. Riverside: Williams & Wilkins, 1982. 672 p.
HSDB- HAZARDOUS Substances Data Bank. Manganese; National Library Medicine; Center for Occupational Health abd Safety. 2000.
MIDACLOPRID NORTOX. Bula do defensivo Imidacloprid Nortox®. Arapongas - PR: Nortox, 2020. Disponível em: https://www.nortox.com.br/wp-content/uploads/2019/03/Imidacloprid-Nortox-Bula-VER-19-10.03.2020.pdf. Acesso em 09/04/2020.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTISTICA. Território e Ambiente: Mato Grosso do Sul. 2014. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/panorama> Acesso em: 05 de abril de 2021.
KSHEERASAGAR, R. L; KALIWAL, B. Temporal effects of mancozeb on testes, accessory reproductive organs and biochemical constituents in albino mice. Environmental Toxicology and Pharmacology. 14:9-17. 2003.
LARINI, L. Herbicidas. Toxicologia. 3. ed., São Paulo: Editora Manole LTDA, 1997. Cap.7, p. 199-203.
LOPES, C. V. A; ALBUQUERQUE, G. S. C. Desafios e avanços no controle de resíduos de agrotóxicos no Brasil: 15 anos do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Caderno de Saúde Pública., [S. l.], v. 37, ed. 2, 2021.
LUTZENBERGER, J.A. O absurdo da agricultura. Desenvolvimento rural. São Paulo, v. 15, ed. 43, 2001.
MACHEMER, L. H.; PICKEL, M. Carbamate insecticides. Toxicology, v. 91, n. 1, p. 29-36, 1994.
MATO GROSSO DO SUL. Semagro Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (ed.). AGROTÓXICOS. In: Agrotóxicos. [S. l.], 2021. Disponível em: https://www.iagro.ms.gov.br/agrotoxicos-2/. Acesso em: 24 mar. 2021.
MELI, G.; BAGNATI, R.; FANELLI, R.; BENFENATTI, E.; AIROLDI, L. Metabolic profile of atrazine and N Nitroso Atrazine in rat urine. Bull. Environ. Contam. Toxicol., v.48, n.5, p. 701-708, 1992.
MOHAMED, Fahim et al. Acute Human Self-Poisoning with Imidacloprid Compound: A Neonicotinoid Insecticide. Plos One, [S. l.], v. 4, n. 4, p. 1-5, abr. 2009.
MOREIRA, A. A. G. Química e Bioquímica quântica do agrotóxico imidacloprido: o matador de abelhas. -Universidade Federal do Ceará, Ceará, 2017. p. 258.
MUSUMECI, M. R; NAKAGAWA, C. E; LUCHINI, L. C; MATALLO, M. B; ANDREA, M. M. Degradação do C-Diuron em solos e em plantas de cana-de-açúcar (Saccharum ssp). Pesquisa Agropecuária Brasileira. V.30, p 775-778, 1995.
OGA, S. Praguicidas. In: OGA, S. Fundamentos de toxicologia. 2. ed. São Paulo: Atheneu Editora, 2003. p. 437-58.
OLIVEIRA, L. G. B. Levantamento sobre o uso de defensivos agrícolas na região de Andradina-SP. Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia - MG, 2018.
OTURAN, N.; TRAJKOVSKA, S.; OTURAN, M. A; COUDERCHET, M; ARON, J. J. Study of the toxicity of diuron and its metabolites formed in aqueous medium during application of the electrochemical advanced oxidation process ‘‘electroFenton”. Chemosphere, v. 73, p. 1550–1556, 2008.
PAGANELLI, Alejandra et al. Glyphosate-Based Herbicides Produce Teratogenic Effects on Vertebrates by Impairing Retinoic Acid Signaling. Universidade de Buenos Aires,. Buenos Aires, p. 1-10. maio 2010.
PERES F.; MOREIRA. J. C.; DUBOIS, G. S. Agrotóxicos, saúde e ambiente: uma introdução ao tema. In PERES, F.; MOREIRA, J. C. É veneno ou é remédio? Agrotóxicos, saúde e ambiente. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003. cap.1, p. 21-101
PIRES, D. X.; CALDAS, E. D.; RECENA, M.C.P. Intoxicações provocadas por agrotóxicos de uso agrícola na microrregião de Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil, no período de 1992 a 2002. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, n. 3, p. 804-814, 2005.
PORTAL DO GOVERNO DE MATO GROSSO DO SUL. Economia de MS, Mato Grosso do Sul, Brasil. 2018 Disponível em: <http://www.ms.gov.br/a-economia-de-ms/> Acesso em: 05 de abril de 2021.
RECINE, E.; RADAELLI, P. Alimentação e cultura. TV Escola, [S. l.], p. 1-66, 5 jan. 2011
SILVA, L. R. Histórico da regulamentação dos agrotóxicos. Texto para discussão. Anvisa, Brasília. 2007.
SHILS, J.; SHIKE, M. Modern Nutrition in health and disease. Biological Trace Element Research. 29: 133-136. 1994.
STANKO, J. P.; ENOCH, R. R; RAYNER, J. L; DAVIS, C. C; WOLF, D. C.; MALARKEY, D.; FENTON, S. Effects of prenatal exposure to a low dose atrazine metabolite mixture on pubertal timing and prostate development of male Long-Evans rats. Reproductive Toxicology. Elsevier Science. New York, 2010.
SUN, L; COSTA, C. F; SEREGATI, F. C; NETO, G. D. T; PIZCIONERI, R;. Comércio Internacional e o Agronegócio Brasileiro. Relatório completo - Fundação Getúlio Vargas Centro de Agronegócio. Rio de Janeiro, 2015.
SUNTRES, Z. E. Role of antioxidants in paraquat toxicity. Toxicology, v. 180, n. 1, p. 65-77, 2002.
TAVEIRA, B.; ALBUQUERQUE, G. Análise das notificações de intoxicações agudas, por agrotóxicos, em 38 municípios do estado do Paraná. Curitiba, v. 42, 2018.
TSAO, T; JUANG, Y. C; SHIEH, W. B; LEE, C. H. Respiratory failure of acute organophosphate and carbamate poisoning. CHEST Journal, v. 98, n. 3, p. 631-636, 1990.
WHO- World Health Organization. Public health impact of pesticides used in agriculture. Geneva; 1990.
WHO – World Health Organization. Paraquat and Diquat, IPCS. Environ Health Criteria, v. 39, p. 191, 1984.
ZHANG, L; RANA, I; SHAFFER, R. M; TAIOLI, E; SHEPPARD, L. Exposure to glyphosate-based herbicides and risk for non-Hodgkin Lymphoma: A meta-analysis and supporting evidence. Mutation Research/Reviews in Mutation Research, v 781, p. 186-206, 2019.

Downloads

Publicado

2023-07-14

Como Citar

FERREIRA DE ALMEIDA, J. T.; AMORIM RODRIGUES KOHL LANDER , V. .; MARCOS DE SOUZA MARTINS , J.; ARAUJO CARVALHO , K. .; BENTO BARBOSA, A.; KEMP CHACAROSQUE GONÇALVES , I. .; HENRIQUE TRINDADE MONTEIRO, P. . .; MAURO, . M.; ROCHA MOREIRA, D. . Análise do perfil do uso de agrotóxicos no estado do Mato Grosso Do Sul, políticas públicas relacionadas e impactos na saúde da população. . Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, [S. l.], v. 8, n. 15, 2023. DOI: 10.47224/revistamaster.v8i15.264. Disponível em: https://revistamaster.imepac.edu.br/RM/article/view/264. Acesso em: 21 jun. 2024.