O uso da tecnologia para dinamizar a difusão das informações no combate à dengue

Publicado
2020-07-27
Palavras-chave: Dengue, Difusão de inovações, Educação em saúde

    Autores

  • Samara Dahas Bittar Freitas Centro Universitário IMEPAC Araguari
  • Nathalia Antunes Silva Centro Universitário IMEPAC Araguari
  • Paula Palhares de Resende Centro Universitário IMEPAC Araguari
  • Rafaela de Andrade Santos Centro Universitário IMEPAC Araguari
  • Thayná Pereira Beirigo Centro Universitário IMEPAC Araguari
  • Melissa Mariane Reis Centro Universitário IMEPAC Araguari

Resumo

A dengue consiste numa doença febril aguda, que possui como agente etiológico um vírus do gênero Flavivírus e da família Flaviridae. Consiste em uma doença tropical e subtropical e, desse modo, os países das Américas Central e do Sul registram mais da metade dos casos notificados no mundo, assim como o Brasil. Nesse cenário, o município de Araguari destaca-se devido um a aumento da infestação do Aedes aegypti. Diante disso, as tecnologias móveis têm sido cada vez mais utilizadas em ambientes de saúde para facilitar a dinâmica nesses centros. Assim, a criação de um aplicativo de celular de combate à dengue é necessária e possui um grande potencial frente à população araguarina. Objetivo: facilitar a difusão das informações a respeito da dengue e dinamizar as denúncias.  Metodologia: análise quantitativa dos dados relativos aos casos de dengue e aplicação de um questionário no município de Araguari. Resultado: Aumento da incidência do número de casos de dengue no município de Araguari e demonstração de interesse por parte da população na adesão ao aplicativo. Discussão: A partir do macroproblema e da análise dos dados, infere-se que a resolutividade do aplicativo será benéfica para a população e para o setor de zoonoses.  Conclusão: A criação do aplicativo busca disponibilizar um canal de comunicação da população com a seção de zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Araguari, visto que ainda há uma lacuna entre estes dois agentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARRETO, Mauricio Lima; TEIXEIRA, Maria da Glória Lima Cruz. Dengue no Brasil: situação epidemiológica e contribuições para uma agenda de pesquisa. Estudos avançados 22 (64), 2008.

DA SILVA, Ivanise Brito; MALLMANN, Danielli Gavião; DE VASCONCELOS, Eliane Maria Ribeiro. Estratégias de combate à dengue através da educação em saúde: uma revisão integrativa. Saúde (Santa Maria), v. 41, n. 2, p. 27-34, 2015.

DATASUS. Dengue - notificações registradas no sistema de informação de agravos de notificação - Minas Gerais. Disponível em: de abril de 2019. <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinannet/cnv/denguebmg.def>. Acesso em:

PEREIRA, Irene Mari; BONFIM, Daiana; PERES, Heloísa Helena Ciqueto; GÓES, Ricardo Fernandes; GAIDZINSKI, Raquel Rapone. Tecnologia móvel para coleta de dados de pesquisas em saúde. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 30, n. 5, p. 479-488, 2017.

REZENDE, Kênia. Avaliação das medidas de educação e Vigilância Ambiental em Saúde com vistas ao controle da infestação predial de Aedes aegypti, e da dispersão de criadouros dos mosquitos vetores do vírus da dengue. 2013. Tese (Doutorado) Universidade de São Paulo, 2013.

TIBES, Chris Mayara dos Santos; DIAS, Jessica David; ZEM-MASCARENHAS, Silvia Helena. Aplicativos móveis desenvolvidos para a área da saúde no Brasil: revisão integrativa da literatura. Revista Mineira de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 471-486, 2014.

Como Citar
FREITAS, S. D. B.; SILVA, N. A.; RESENDE, P. P. DE; SANTOS, R. DE A.; BEIRIGO, T. P.; REIS, M. M. O uso da tecnologia para dinamizar a difusão das informações no combate à dengue. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 5, n. 9, p. 50-54, 27 jul. 2020.