Carcinoma de Células Escamosas em Implantes Mamários

Autores

  • Vívian Laís de Lima
  • Vítor Venâncio de Magalhães Borges
  • Núbia Carolina Gondin Moraes da Costa
  • Eduarda Lemes Miguel

DOI:

https://doi.org/10.47224/revistamaster.v8i15.415

Palavras-chave:

Implantes mamários; Carcinoma de células escamosas; Câncer de mama.

Resumo

Implantes mamários são cada vez mais utilizados para aumento e reconstrução mamária em pacientes com câncer de mama após mastectomia. Em setembro de 2022 a The Lancet publica uma comunicação de segurança emitida pela Food and Drug Administration (FDA) para destacar casos de carcinoma de células escamosas (CCE) que envolvem implantes mamários. OBJETIVO: Sumarizar de forma breve os conceitos básicos, dados epidemiológicos e as evidências atuais da associação CCE e cápsulas dos implantes mamários. MÉTODO: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura, de caráter exploratório e descritivo, realizada nas bases de dados Pubmed e Embase. A busca ocorreu entre os dias 09 e 17 de setembro de 2022. DISCUSSÃO E RESULTADOS: O CCE primário de mama é caracterizado pelo grande tamanho do tumor, progressão rápida, recaída frequente e prognóstico ruim. A associação entre CCE e implante mamário foi descrita pela primeira vez em 1992, através do relato de um carcinoma escamoso invasivo na cápsula de um implante mamário. Desde então, alguns trabalhos foram publicados corroborando com a associação entre CCE e implante mamário. Ao ser feito análise dos artigos, evidencia-se que a cápsula do implante mamário acaba sendo coberta por epitélio escamoso estratificado metaplásico, que pode representar um precursor da CCE e que ambos os processos são complicações de inflamação crônica de longa data. CONCLUSÃO: O CCE corresponde a um câncer mais agressivo que requer manejo multidisciplinar. Concorda-se que a presença de inflamação crônica pode levar ao desenvolvimento de carcinoma escamoso, estando associado a implantes mamários de longa data.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALOTAIBI, R.M. et al. Mortalidade por câncer de mama na Arábia Saudita: Modelagem de Fatores Observados e Não Observados. Revista Plos One, v. 13, 2018.

BONDURANT, S. et al. Comitê de Segurança dos Implantes mamários de Silicone. Segurança de Implantes de Silicone mamário, Washington. DC: Instituto de Medicina, v. 15, p. 540, 2000.

BUCHANAN, P. J. et al. Carcinoma de células escamosas primárias decorrentes de uma cápsula de implante de mama: um relato de caso e revisão da literatura. Jornal de Cirurgia Estética, v. 38, n. 7, 2018.

BURKI, T. K. FDA dos EUA emite alerta de câncer ligado a implantes mamários. The Lancet, v. 23, 10 ed., E449, 2022.

CAMACHO, J. P. et al. Carcinoma de células escamosas como resultado de prováveis implantes de nádegas de silicone de grau industrial. Jornal de Cirurgia Estética, v. 2, n. 3, 2020.

CHARLES-DE-SÁ, L. et al. Perfil da cirurgia de aumento de mama no Brasil. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica (RBCP). Jornal Brasileiro de Cirurgia Plástica, v. 34, n. 2, p. 174-186, 2019.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

KITCHEN, S. B. et al. Epitelilização do revestimento de uma cápsula de implante de mama. Possíveis origens do carcinoma escamoso de células associadas a uma cápsula de implante de mama. Câncer, v. 73, n.5, p. 1449-1452, 1995.

LAKHANI, S. R. et al. Classificação de tumores. Lyon: IARC Press; 2012.

MELNYK, B. M.; FINEOUT-OVERHOLT, E. Defendendo a prática baseada em evidências. In: MELNIK, B.M.; FINEOUT-OVERHOLT, E. Prática baseada em evidências em enfermagem e saúde. Um guia para as melhores práticas. 4. Ed. Filadélfia: Wolters Kluwer Health, p.3-24, 2018.

OLSEN, D. L. et al. Carcinoma de células escamosas associadas à cápsula de mama: um relatório de 2 casos. Patologia Humana, v. 67, p. 94-100, 2017.

SOCIEDADE AMERICANA DE CIRURGIA PLÁSTICA. In: ASPS. Estatísticas Processuais de Cirurgia Plástica. [Estados Unidos]: Sociedade Americana de Cirurgia Plástica, 2021.

SWERDLOW, S.H. et al. A revisão de 2016 da classificação de neoplasias linfoides da Organização Mundial da Saúde. Sangue, v. 127, n. 20, p. 2375-90, 2016.

PALETTA, C. et al. Carcinoma de células escamosas após o aumento dos seios. Ann Plast Surg, v. 29, n. 5, p. 425-429, 1992.

ZOMERLEI, T.A.; SAMARGHANDI, A.; TERANDO, A.M. Carcinoma de células escamosas primárias decorrentes de uma cápsula de implante de mama. Plast Reconstr Surg Glob Open, v.3, n.12, 2016.

Downloads

Publicado

2023-09-26

Como Citar

LAÍS DE LIMA, V. .; VENÂNCIO DE MAGALHÃES BORGES, V. .; CAROLINA GONDIN MORAES DA COSTA, . N.; LEMES MIGUEL, E. Carcinoma de Células Escamosas em Implantes Mamários. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, [S. l.], v. 8, n. 15, 2023. DOI: 10.47224/revistamaster.v8i15.415. Disponível em: https://revistamaster.imepac.edu.br/RM/article/view/415. Acesso em: 22 jun. 2024.