Perfil e fatores causais de prematuridade em recém-nascidos atendidos em um centro de reabilitação infantil no interior de Minas Gerais

Publicado
2020-12-01
Palavras-chave: Saúde Infantil; Nascimento Prematuro; Fisioterapia

    Autores

  • Gisélia Gonçalves de Castro Centro Universitário do Cerrado Patrocínio http://orcid.org/0000-0003-1132-5647
  • Bruna da Silva Araújo Araújo Centro Universitário do Cerrado Patrocínio
  • Iêda Pereira Magalhães Martins Centro Universitário do Cerrado Patrocínio https://orcid.org/0000-0002-4346-7837
  • Juliana Gonçalves Silva de Mattos Centro Universitário do Cerrado Patrocínio Minas Gerais

Resumo

Caracterizou-se o perfil dos recém-nascidos prematuros que estiveram em reabilitação no setor de Fisioterapia Pediátrica no interior de Minas Gerais. Estudo analítico, descritivo e retrospectivo, realizado por análise de prontuários de 2015-2018. A análise dos dados foi descritiva. Analisou-se 63 prontuários sendo a maioria de meninos (52,4%). Os partos aconteceram com tempo gestacional ≥29 semanas (77,8%), com RN’s de baixo peso (44,4%), com bons resultados de Apgar no primeiro e quinto minuto e com perímetro cefálico entre 28 e 33 cm (42,8%). Grande parte dos partos foram cesariados (63,5%), com prematuros moderados (44,4%), com maior incidência de meninas por parto vaginal (12,7%) e meninos por parto cesariado (36,5%). As causas da prematuridade mais evidentes foram por ruptura da bolsa e Pré- eclâmpsia/Eclâmpsia/Síndrome de Helps (17,5%, respectivamente). Encontrou-se alterações no teste do olhinho (39,7%). O tempo médio do encaminhamento médico até a  primeira avaliação fisioterapêutica foi de 57,4 dias, enquanto que até a alta fisioterapêutica foi de 339,8 dias, sendo a desistência o grande motivo (50,8%). Percebeu-se incompletude dos dados nos prontuários, sendo necessários trabalhos pontuais de educação continuada e orientações quanto a importância do preenchimento, além de orientação às famílias quanto a adesão e acompanhamento ao tratamento de reabilitação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAHÃO, Cesar Augusto França et al. PERFIL DO RECÉM-NASCIDO NO SERVIÇO TERAPÊUTICO DE ACOMPANHAMENTO PRECOCE. Journal of Amazon Health Science, v. 1, p.64-84, 2015.

AMBROZIO, Carolina Ribeiro. Participação de mães na avaliação do desenvolvimento do bebê com síndrome de down, realizada pelo psicólogo, na estimulação precoce. 2009. 156 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009.

ABUD, Simone Mourão; GAÍVA, Maria Aparecida Munhoz. Análise do preenchimento dos dados sobre gravidez, parto, puerpério e recém-nascido na caderneta de saúde da criança. Revista da Sociedade Brasileira de Enfermagem e Pediatria, v. 16, ed. 1, p. 11-20, Junho 2016.

CASTRO, Gisélia Gonçalves de; FIGUEIREDO, Glória Lúcia Alves; CANO, Maria Aparecida Tedeschi. Crianças prematuras: caracterização e intervenção fisioterapêutica. Cinergis, Franca, v. 17, p.196-201, 30 set. 2016.

CUSTÓDIO, Zaira Aparecida de Oliveira; CREPALDI, Maria Aparecida; CRUZ, Roberto Moraes. Desenvolvimento de Crianças Nascidas Pré-Termo Avaliado pelo Teste de Denver-II: Revisão da Produção Científica Brasileira. Psicologia: Reflexão e Crítica, Florianópolis, v. 25, p.400-406, 15 mar. 2011.

FERNANDES, Pollyanna Tavares Silva et al. Desenvolvimento neuropsicomotor de recém-nascidos prematuros: uma revisão sistemática. Conscientiae Saúde, Uberaba, v. 16, p.463-470, 21 dez. 2007.

GAÍVA, Maria Aparecida Munhoz; SILVA, Fabiane Blanco da. Caderneta de saúde da criança: revisão integrativa. Revista de Enfermagem UFPE on line, Recife, v. 8, ed. 3, p. 742-749, Mar 2014.

HOLANDA, Cristyanne Samara Miranda de; ALCHIERI, João Carlos; MORAIS, Fátima Raquel Rosado; MARANHÃO, Técia Maria de Oliveira. Estratégias de desenvolvimento, acompanhamento e avaliação do atendimento da gestante no ciclo gravídico- puerperal. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 37, ed. (6), p. 388–94., 2015.

MACHADO, Kátia Castelo Branco; TEIXEIRA, Luciana Lavor; SÁ, Fabiane Elpídio de. Perfil clínico dos recém-nascidos com retinopatia da prematuridade em um hospital público do ceará. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, Fortaleza, v. 21, p.47-54, 2008.

MARCHI, Ana Clécia Maria dos Santos; GOLDBECK, Ana Stela; NUNES, Jakeline; ZAMARO, Paula Juliana Antoniazzo; CARVALHO, Tania Marini de. Triagem neonatal
biológica: manual técnico. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção a Saúde, Brasília, v. 1, n. 80p, 2016.

MENETRIER, Jacqueline Vergutz; ALMEIDA, Gleidaiane de. Perfil epidemiológico de gestantes de alto risco com parto prematuro em um hospital de referência. Revista Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 9, p.433-441, dez. 2016.

MENEZES, Francislene Lopes; GRACIOLI, Michelle da Silva Araújo; FREITAS, Hilda Maria Barbosa de; DIAZ, Claudia Maria Gabert; ROCHA, Bruna Dedavid da; GOMES, Iris Elisabete Messa; BORDIGNON, Juliana Silveira. Conhecimento das mães acerca do teste do pezinho. Espaço para a Saúde – Revista de Saúde Pública do Paraná, Londrina, v. 17, ed. 2, p. 220-228, Dezembro 2016.

MEDEIROS, Juliana Karina Brugnolli; ZANIN, Rafaela Olivetti; ALVES, Kátia da Silva (Ed.). Perfil do desenvolvimento motor do prematuro atendido pela Fisioterapia. Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Londrina, PR, v. 7, p.367-372, 23 nov. 2009.

NASCIMENTO, Luiz Fernando Costa; GOTLIEB, Sabina Léa Davidson. Fatores de risco para o baixo peso ao nascer, com base em informações da Declaração de Nascido Vivo em Guaratinguetá, SP, no ano de 1998. Informe Epidemiológico do Sus, Brasília, v.10, ed.3, Set 2001.

NUNES, Rodrigo Dias; BERTUOL, Elisa; SIQUEIRA, Isabela Ribeiro. Avaliação dos fatores associados aos resultados neonatais no descolamento prematuro de placenta. Arquivos Catarinenses de Medicina, Palhoça, v. 4, p.11-27, dez. 2016.

OLIVEIRA, Flávia Evelyn Santos de; VIEIRA, Nayanne Martins. Causas do nascimento de recém-nascidos prematuros em uma maternidade de alto risco do município de Aracaju entre julho e dezembro de 2014. Orientador: Profª. Esp. Derijulie Siqueira de Sousa. 2015. Trabalho de conclusão de curso (Bacharel em Enfermagem) - Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Tiradentes, Aracaju, 2015.

OLIVEIRA, S. S. M.; MATTOS, J. G. S. Benefícios da atividade física no período gestacional. Revista Saúde e Educação, v. 1, p. 32-44, 2016.

PESSOA, Tiara Aida Oliveira; MARTINS, Christine Baccarat de Godoy; LIMA, Fernanda Cristina Aguiar; GAÍVA, Maria Aparecida Munhoz. O crescimento e desenvolvimento frente à prematuridade e baixo peso ao nascer. Avances en Enfermería, Bogota, v. 33, ed. 3, p. 401-411, 2015.

PINTO, Jessika Nauama Silva et al. Incidência de parto cesárea em uma maternidade no município de Porto Velho –RO em 2017. Revista Eletrônica Acervo Saúde, Porto Velho, v. 33, p. e1241, ago. 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Teste da orelhinha. 2015.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Triagem Neonatal Biológica Manual Técnico. 2016.

SCOPEL, Gabriela Graciolli. Avaliação do desenvolvimento motor de recém-nascidos
prematuros. 2017. 80 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Fisioterapia, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, 2017.

SILVA, Guilherme Grivicich da; SIRENA, Sergio Antonio. Perfil de encaminhamentos a fisioterapia por um serviço de Atenção Primária à Saúde, 2012. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 24, p.123-133, mar. 2015.

VIANA, Kelly de Jesus et al. Peso ao nascer de crianças brasileiras menores de dois anos. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, p.349-356, 17 out. 2012.

VIEIRA, Lindeglaciene Fernandes da Silva. A importância da estimulação precoce no recém-nascido prematuro na unidade de terapia intensiva neonatal: uma revisão bibliográfica. Orientador: Esp. Jéssica Castro dos Santos. 2016. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Fisioterapia) - Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Ariquemes – RO, 2016.
Como Citar
CASTRO, G. G. DE; ARAÚJO, B. DA S. A.; MARTINS, I. P. M. .; MATTOS , J. G. S. DE. Perfil e fatores causais de prematuridade em recém-nascidos atendidos em um centro de reabilitação infantil no interior de Minas Gerais. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 5, n. 10, p. 76-82, 1 dez. 2020.