Atividade prática-exploratória no CAPSi (Centros de Atenção Psicossocial Infantil) Crescer de Anápolis: um relato de experiência

Publicado
2020-07-27
Palavras-chave: psiquiatria infantil, saúde mental, SUS, experiência

    Autores

  • Eduarda Vianna Guimarães Balestra Centro Universitário UniEVANGÉLICA
  • Lorena Torres Magalhães Centro Universitário UniEVANGÉLICA
  • Isadora Eloi Franco Centro Universitário UniEVANGÉLICA
  • Rafaella Faria de Oliveira Guerra Centro Universitário UniEVANGÉLICA
  • Ana Paula Stievano Ferraz Silveira Centro Universitário UniEVANGÉLICA
  • Constanza Thaise Xavier Silva Centro Universitário UniEVANGÉLICA

Resumo

OBJETIVO: Entender como funciona na prática o cuidado com a saúde mental para melhor compreender a Politica Nacional de Saúde Mental, para poder abordar as experiências vividas por estudantes de medicina no Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) Crescer, na cidade de Anápolis, Goiás. RELATO DE EXPERIÊNCIA: Na última passagem pelo CAPSi Crescer, foi feito o acompanhamento de consultas com tema Transtorno de Personalidade Borderline. Tal transtorno mostra uma face de depressão com automutilação, crises de choro e tristeza. DISCUSSÃO: A atual política de saúde mental no Brasil, propõe a progressiva substituição dos hospitais psiquiátricos por uma rede de serviços de atenção em saúde mental constituída por CAPS e outras redes de apoio.  A proposta de funcionamento do CAPSi não se mantem baseada apenas no suporte farmacológico, mas também, engloba estratégias e modalidades de tratamento pautados nas oficinas terapêuticas, atividades lúcidas para suporte humanizado, equipe interdisciplinar e outras ações, de modo a proporcionar e construir um espaço acolhedor, de convivência e integração das crianças com o meio social no qual estão inseridas. Em relação a transtornos na infância, o diagnóstico psiquiátrico apresenta grande complexidade, porque não apenas os limites entre o normal e o patológico são menos passíveis de distinção, mas também aqueles entre um diagnóstico e outro. CONCLUSÃO: A vivência diária de estudantes de medicina no Brasil promove maior conhecimento da rede de ferramentas disponíveis no Sistema Único de Saúde. As visitas práticas ao CAPSi podem ilustrar as extensas aulas teóricas ministradas nos cursos de medicina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. DAPES. Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. Saúde Mental no SUS: Cuidado em Liberdade, Defesa de Direitos e Rede de Atenção Psicossocial. Relatório de Gestão 2011‐2015. Ministério da Saúde: Brasília. Maio, 2016, 143 p.

BEZERRA, Edilane; DIMENSTEIN, Magda. Os CAPS e o trabalho em rede: tecendo o apoio matricial na atenção básica. Psicologia: ciência e profissão, v. 28, n. 3, p. 632-645, 2008.

ARAÚJO, Gabriela Henriques et al. Estratégias de cuidado desenvolvidas no CAPS infantil: concepções de familiares e profissionais. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v. 7, p. 28-38, 2015.

COUTO, Maria Cristina Ventura et al. A saúde mental infantil na Saúde Pública brasileira: situação atual e desafios. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 30, n. 4, p. 37 – 43, 2008.

D’ ABREU, Lylla Cysne Frota. O desafio do diagnóstico psiquiátrico na criança. Contextos Clínicos, v. 5, n. 1, São Leopoldo. 2012.

TORRES, Odete Messa. Os estágios de vivência no Sistema Único de Saúde do Brasil: caracterizando a participação estudantil. Repositório Institucional da Fiocruz, v. 7, n. 4. 2013.

Como Citar
BALESTRA, E. V. G.; MAGALHÃES, L. T.; FRANCO, I. E.; GUERRA, R. F. DE O.; SILVEIRA, A. P. S. F.; SILVA, C. T. X. Atividade prática-exploratória no CAPSi (Centros de Atenção Psicossocial Infantil) Crescer de Anápolis: um relato de experiência. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 5, n. 9, p. 11-14, 27 jul. 2020.