A Performance de Tradutores e Intérpretes de Libras na Educação Remota no Período de Pandemia

Autores

  • Denise Medeiros Faria Centro Universitário UNIDOMBOSCO
  • Fernanda Welter Adams Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Rogério Pacheco Rodrigues IMEPAC Itumbiara

DOI:

https://doi.org/10.47224/revistamaster.v8i15.318

Palavras-chave:

Aulas Remotas, TILS, Educação de Surdos

Resumo

In the midst of a pandemic due to the coronavirus (COVID-19) in 2020 and trying to prevent the spread of the virus, adaptations are needed in all areas, mainly in education. This goes through a moment of improvisation, in which face-to-face teaching becomes remote. Thus, with a focus on special education, the present study aims to identify the perspective of Libras Translators and Interpreters (LIT) in relation to the teaching and learning process of the deaf student through remote teaching developed in a period of pandemic. To this end, the research followed a qualitative approach. As a data collection instrument, a questionnaire with 11 discursive questions was used, which was prepared and sent via Google Forms to the LIT of the municipal and state network of a municipality in Goiás. Through the analysis of responses, it was observed that LIT pointed out difficulties in working with deaf students in face of remote education. It can be concluded with this work that despite these difficulties, the subjects believe they are doing a good job and thus preventing the barrier in the communication of the deaf students they attend.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Medeiros Faria, Centro Universitário UNIDOMBOSCO

Pós-Graduada em Libras e Educação Especial pela Faculdade Única de Ipatinga/MG (FUNIP). Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário UNIDOMBOSCO. Graduada em Licenciatura em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás -Campus Itumbiara.

Fernanda Welter Adams, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão.

Rogério Pacheco Rodrigues, IMEPAC Itumbiara

Mestrando em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atualmente é Instrutor de Educação Profissional e Tecnológica em Química na Escola SENAI de Itumbiara-GO e Docente no curso de Medicina no IMEPAC de Itumbiara. 

Referências

BERSCH, R. Atendimento educacional especializado: formação continuada de professores para atendimento educacional especializado. Brasília, DF: MEC/SEESP/SEED, 2007.

BRASIL. LEI nº 9.394, de 20 de Dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 20 de dezembro de 1996

______. Decreto nº 5.626, de 22 de Dezembro de 2005 — Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

______. LEI nº 10.436, de 24 de ABRIL de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Portal da Legislação, Brasília, abr. 2002.

______. LEI nº 12.319, de 1º de SETEMBRO de 2010. Regulamenta a profissão de Tradutor e Intérprete da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS. Portal da Legislação, Brasília, set. 2010.

CERUTTI, E. Tecendo Saberes sobre as Tecnologias Assistivas para o Sujeito Surdo no Ensino Superior. Revista Internacional de Educação Superior, v. 6, p. 1-16, 2020. DOI: https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8656427

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

CORRADI, J. A. M. Ambientes Informacionais Digitais e Usuários Surdos: questões de acessibilidade. 2007. 214 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2007.

FRAGALE FILHO, R. F. Educação a Distância: análise dos parâmetros legais e normativos. Roberto Fragale Filho (org.) Rio de Janeiro. DP&A, 2003.

GOTTARDI, M. L. A autonomia na aprendizagem em educação a distância: competência a ser desenvolvida pelo aluno. Associação Brasileira de Educação a Distância, V. 14, 2015. DOI: https://doi.org/10.17143/rbaad.v14i0.268

GABARDO, P.; QUEVEDO, S. R. P.; ULBRICHT, V. R. Estudo Comparativo das Plataformas de Ensino-Aprendizagem. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, n. especial, 2º semestre, p. 65-84, 2010. DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2010v15nesp2p65

GALVÃO FILHO, T. Tecnologia Assistiva: favorecendo o desenvolvimento e a aprendizagem em contextos educacionais inclusivos. In: GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (Org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília/SP: Cultura Acadêmica, p. 65-92, 2012. DOI: https://doi.org/10.36311/2012.978-85-7983-259-8.p65-92

_____. Tecnologia assistiva para uma escola inclusiva: apropriação, demandas e perspectivas. 2009. 346f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

GESSER, A. Interpretar ensinando e ensinar interpretando: posições assumidas no ato interpretativo em contextos de inclusão para surdos. Cadernos de Tradução, v. 35, nº especial 2, p. 534-556, 2015. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p534

GOIÁS. Resolução n. 2, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre o regime especial de aulas não presenciais no Sistema Educativo do Estado de Goiás, como medida preventiva à disseminação do COVID-19. Goiânia, 2020.

_____. Conselho Estadual de Educação do Estado de Goiás. Nota Explicativa n. 5, de 22 de maio de 2020. Goiânia, 2020.

_____. Secretaria de Estado da Saúde. Nota Técnica n. 1, de 15 de março de 2020. Goiânia, 2020.

_____. Decreto nº 9.634, de 13 de Março de 2020. Estabelece os procedimentos preventivos de emergência a serem adotados pelo Poder Executivo do Estado de Goiás e seus servidores, em razão de pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Publicado no Diário Oficial da União em 14 de Março de 2020.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Editora Atlas, 2002.

GIRKE, C. A. Atuação e papéis do intérprete educacional de Língua de Sinais. 2018. 68 f. Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal De Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

HACK, J. R. Introdução à educação à distância. Florianópolis: LLV/CCE/UFSC, 2011.

LACERDA. Intérprete de LIBRAS: em atuação na educação infantil e no ensino fundamental. Porto Alegre: Mediação/FAPESP, 2009.

LACERDA, C. B. F.; BERNARDINO, B. M. O papel do intérprete de Língua de Sinais nas etapas iniciais de escolarização. In: LACERD A, C. B. F; LODI, A.C.B. (orgs). Uma escola, duas línguas: Letramento em Língua Portuguesa e Língua de Sinais nas etapas iniciais de escolarização. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2010. p.65-80.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Atlas 2003.

MOORE, M. G.; KEARSLEY, G. Educação a Distância: uma visão integrada. Tradução de Roberto Galman. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

MORAN, J. M. Aperfeiçoando os Modelos de EAD Existentes na Formação de Professores. Educação, v. 32, n. 3, p. 286-290, 2009.

MORAES, R. Uma Tempestade de Luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191–211, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva. Ijuí/RS: Editora Unijuí, 2007.

MOTA, J. S. Utilização do Google Forms na Pesquisa Acadêmica. Humanidades e Inovação, v. 6, n. 12, p. 371-380, 2019.

MASUTTI, M. L.; SANTOS, S. A. Intérpretes de Língua de Sinais: Uma Política em Construção. In: QUADROS, R. M. (org.). Estudos Surdos III, Petrópolis, RJ: Arara Azul, 2008.

NEDER, M. L. C. A Orientação Acadêmica na EAD: a perspectiva de (re) significação do processo educacional. PETRI, O. (Org.). Educação a Distância: construindo significados. Cuiabá: NEAD/UFMT, 2000.

QUADROS, R. M. Inclusão de surdos: uma das peças do quebra cabeça da educação. Conteúdos e Didática em Libras, p. 75-78, 2012.

SILVA, C. R. A Relação Pedagógica entre o Professor Ouvinte e o Intérprete Educacional de Língua de Sinais. 2010. 57 f. TCC (Graduação) - Curso de Licenciatura em Pedagogia, Faculdade de Educação - FACED, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

SOUZA, G. V. Ambiente Computacional para Auxiliar na Aprendizagem do Surdo. 2010. 100f. Dissertação (Mestrado Integrado Profissional em Computação Aplicada) – Universidade Estadual do Ceará e Instituto Federal Educação Ciência e Tecnologia do Ceará, Fortaleza, 2010.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

Downloads

Publicado

2023-07-14

Como Citar

MEDEIROS FARIA, D.; WELTER ADAMS, F. .; PACHECO RODRIGUES, R. A Performance de Tradutores e Intérpretes de Libras na Educação Remota no Período de Pandemia. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, [S. l.], v. 8, n. 15, 2023. DOI: 10.47224/revistamaster.v8i15.318. Disponível em: https://revistamaster.imepac.edu.br/RM/article/view/318. Acesso em: 21 maio. 2024.