ANÁLISE DOS CASOS NOTIFICADOS DE SÍFILIS GESTACIONAL E CONGÊNITA ENTRE OS ANOS DE 2014 E 2018 EM ARAGUARI – MG

Publicado
2020-07-22
Palavras-chave: Incidência. Infecções por Treponema. Sífilis. Sorodiagnóstico da Sífilis.

    Autores

  • Isabela Oliveira Andrade IMEPAC
  • Mariana Lima Silveira
  • Pabline Vanin Claudino
  • Rayssa Carneiro Ferreira
  • Nathália Borges de Paiva
  • Natália David Vilela
  • Vanessa Lemos

Resumo

Sífilis, é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Treponema pallidum. A principal via de transmissão é sexual, mas pode também ser transmitida verticalmente, da mãe para o feto, por transfusão de sangue ou por contato direto com sangue contaminado. Se não for tratada precocemente, pode comprometer vários órgãos como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso. Observou-se que nos últimos 10 anos, em especial a partir de 2010, ocorreu um progressivo incremento na taxa de incidência de sífilis congênita no Brasil, tendo como base essa situação alarmante, o objetivo deste trabalho é avaliar o porquê do aumento da incidência de Sífilis, os casos notificados e pesquisar os pedidos de testes rápidos para gestantes.  Trata-se de um estudo descritivo, epidemiológico, transversal e quantitativo onde a população é constituída por crianças nascidas em Araguari-MG diagnosticadas e notificadas com sífilis congênita com utilização também de dados secundários disponibilizados pelo DATASUS através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC).  Esta pesquisa poderá contribuir para a evidenciação do porquê essa moléstia vem se agravando nos últimos anos e de acordo com essa informação investir em ações preventivas e de controle da infecção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Keyla Caroline de; LINDOLFO, Ludmilla Costa; ALCÂNTARA, Keila Correia de. Sífilis em gestantes atendidas em uma unidade de saúde pública de Anápolis, Goiás, Brasil. Rev. bras. anal. clin, 2009, 41.3: 181-184.

BARBOSA, Débora Regina Marques, et al. Perfil epidemiológico dos casos de sífilis gestacional. Rev. enferm. UFPE online, 2017, 11.5: 1867-1874.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes para o Controle da Sífilis Congênita, 2006. Disponível em:<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_sifilis_bolso.pdf>Acesso em: 05jun. 2018.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Sífilis, Estratégias para diagnóstico no Brasil 2010. Disponível em:<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sifilis_estrategia_diagnostico_brasil.pdf>Acesso em: 05jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à Saúde. Departamento de atenção básica . Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI). Boletim Epidemiológico de Sífilis. Brasília: MS; 2019 [acessado 2019 novembro 01]. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/boletim-epidemiologico-sifilis-2019>

CLEMENTE, Tâmara Santos et al. A importância do pré-natal como ferramenta na prevenção da sífilis congênita: revisão bibliográfica. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-ALAGOAS; 2012.

KILSZTAJN, Samuel, et al. Assistência pré-natal, baixo peso e prematuridade no Estado de São Paulo, 2000. Revista de saúde Pública, 2003, 37: 303-310.

LAFETÁ, Kátia Regina Gandra et al. Sífilis materna e congênita, subnotificação e difícil controle. Revista Brasileira de Epidemiologia; 2016.

LIMA, Marina Guimarães, et al. Incidência e fatores de risco para sífilis congênita em Belo Horizonte, Minas Gerais, 2001-2008. Ciência & Saúde Coletiva, 2013, 18: 499-506.

MAEDA, Adriana ThiemiNishino, et al. Perfil clínico e epidemiológico das gestantes com Sífilis e Sífilis congênita no município de Cacoal, Rondônia, Brasil, 2007 a 2016. 2018.

MOROSKOSKI, Márcia, et al. Perfil de gestantes adolescentes diagnosticadas com sífilis em Curitiba-PR. Revista de Saúde Pública do Paraná, 2018, 1.1: 47-58.

PADOVANI, Camila; OLIVEIRA, Rosana Rosseto de; PELLOSO, Sandra Marisa. Sífilis na gestação: associação das características maternas e perinatais em região do sul do Brasil. Rev. Latino-Am Enfermagem, 2018, 26: e3019.

SILVA, Nathália Gonçalves da. Avaliação de prevalência de Sífilis no município de Coromandel, MG, Brasil entre os anos de 2012 a 2018. Repositório Fucamp; 2018.

SOUSA, Otávio Carvalho et al. Sífilis congênita: o reflexo da assistência pré-natal na Bahia/Congenital syphilis: thereflexofpre natal care in Bahia. BrazilianJournalof Health Review; 2019.

Como Citar
OLIVEIRA ANDRADE, I.; SILVEIRA, M. L. .; CLAUDINO, P. V. .; FERREIRA, R. C. .; PAIVA, N. B. DE .; VILELA, N. D. .; LEMOS, V. ANÁLISE DOS CASOS NOTIFICADOS DE SÍFILIS GESTACIONAL E CONGÊNITA ENTRE OS ANOS DE 2014 E 2018 EM ARAGUARI – MG. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 4, n. 8, p. 31-35, 22 jul. 2020.