Critérios diagnóstico e métodos de atualização em diabetes gestacional segundo ginecologistas obstétricos da cidade de Araguari – MG

Publicado
2020-12-01
Palavras-chave: Diabetes Mellitus Gestacional, Diabetes Mellitus, Critérios, Diagnóstico

    Autores

  • Lara Amélia Queiroz Discente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG https://orcid.org/0000-0002-4757-3995
  • Iara Guimarães Rodrigues Docentes do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG https://orcid.org/0000-0003-3846-919X
  • Ana Helena Bittencourt Alamy Docente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG
  • Thaís Ribeiro Oliveira Santos de Marcello Discente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG https://orcid.org/0000-0002-0591-9222
  • Nathália Nunes Bessa Sousa Discente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG
  • Brathener Paulo Moura Araújo Discente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG
  • Nataska Batista Possas Discente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG
  • Danilo Martins Júnior Discente do curso de Medicina do Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos de Araguari-MG https://orcid.org/0000-0001-5101-6422

Resumo

Diabetes mellitus gestacional (DMG) é qualquer grau de redução da tolerância à glicose, resultando em hiperglicemia de gravidade variável, cuja detecção ocorreu durante a gravidez. O DMG é um distúrbio da segunda metade da gestação, quando a insulino resistência é máxima. Descrever critérios diagnósticos para DMG mais utilizados por médicos ginecologistas e obstetras em atendimento ambulatorial às gestantes residentes em Araguari-MG. Trata-se de um estudo descritivo e exploratório analítico, observacional e de levantamento, por questionário direto, comparando distintos critérios diagnósticos para DMG, utilizados ambulatorialmente. Os dados foram armazenados, tratados e organizados descritivamente em um banco de dados do Microsoft Office Excel®. Para uma provável análise inferencial, utilizou-se teste G com o auxílio do software BioEstat5.3. Dos entrevistados, a maioria são mulheres especializadas a menos de 20 anos em universidades públicas de Minas Gerais, dentre os quais, a maioria se considera atualizado, porém não  utilizam predominantemente o critério do Ministério da Saúde para diagnostico de DMG. O estudo observou uma concordância com o padrão nacional da realidade médica atual, que evidencia uma feminilização dos profissionais ginecologistas e obstetras.  Contudo, os aspectos relacionados ao diagnóstico do DMG necessitam de uma abordagem mais otimizada por parte dos profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. AMERICAN DIABETES ASSOCIATION et al. Standards of medical care in diabetes - 2010. Diabetes care, v. 33, n. Supplement 1, p. S11-S61, 2010.
2. COSTA, Juvenal Soares Dias da et al. Prevalência de Diabetes Mellitus em Pelotas, RS: um estudo de base populacional. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 3, p. 542-545, 2006.
3. DA SILVA, Amanda L. et al. Neonatal outcomes according to different therapies for gestational diabetes mellitus. Jornal de pediatria, v. 93, n. 1, p. 87-93, 2017.
4. INTERNATIONAL ASSOCIATION OF DIABETES AND PREGNANCY STUDY GROUPS CONSENSUS PANEL et al. International association of diabetes and pregnancy study groups recommendations on the diagnosis and classification of hyperglycemia in pregnancy. Diabetes care, v. 33, n. 3, p. 676-682, 2010.
5. MASSUCATTI, Lais Angelo et al. Prevalência de diabetes gestacional em Unidades de Saúde Básica. Revista de enfermagem e atencao a saúde, v. 1, n. 01, 2012.
6. NETTO, Augusto Pimazoni et al. Atualização sobre hemoglobina glicada (HbA1C) para avaliação do controle glicêmico e para o diagnóstico do diabetes: aspectos clínicos e laboratoriais. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, v. 45, n. 1, p. 31-48, 2009.
7. NO BRASIL, Demografia Médica. Coordenação de Mário Scheffer; equipe de pesquisa: Alex Cassenote, Aline Gil Alves Guilloux, Aureliano Biancarelli, Bruno Alonso Miotto e Giulia Marcelino Mainardi. São Paulo: Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP, 2018.
8. NOGUEIRA, Anelise Impeliziere et al. Diabetes Gestacional: perfil e evolução de um grupo de pacientes do Hospital das Clínicas da UFMG. Revista Médica de Minas Gerais, v. 21, n. 1, p. 32-41, 2011.
9. RANCIARO, Rose Mary de Castro; MAUAD-FILHO, Francisco. Efeitos da ingestão de glicose sobre a circulação materno-fetal. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 28, n. 12, p. 693-699, 2006.
10. SAUNDERS, C.; PADILHA, P. C. Diabetes na gestação. Accioly E, Saunders C, Lacerda E. Nutrição em obstetrícia e pediatria. Rio de Janeiro: Cultura Médica, p. 191-207, 2009.
11. SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diabetes mellitus gestacional: diagnóstico, tratamento e acompanhamento pós-gestação. Diretrizes SBD. 2014-2015
12. WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. Diabetes mellitus: report of a WHO Expert Committee [meeting held in Geneva from 24 to 30 November 1964]. 1965.
13. ZAPELINI, Raphaela Mazon et al. Critérios diagnósticos e prevalência de Diabetes Mellitus Gestacional em um hospital do sul de Santa Catarina. Revista AMRIGS, v. 59, n. 3, p. 177-181, 2015.
Como Citar
QUEIROZ, L. A.; RODRIGUES, I. G. .; ALAMY, A. H. B.; MARCELLO, T. R. O. S. DE .; SOUSA, N. N. B.; ARAÚJO, B. P. M.; POSSAS, N. B.; JÚNIOR, D. M. . Critérios diagnóstico e métodos de atualização em diabetes gestacional segundo ginecologistas obstétricos da cidade de Araguari – MG . Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 5, n. 10, p. 83-88, 1 dez. 2020.