Vitiligo: estudo da fisiopatologia e da resposta imunológica

Autores

  • Mariana Silva de Muzio Gripp CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI
  • Mateus Carrijo Santos CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI
  • Ana Clara Abrahão Melo CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI https://orcid.org/0000-0002-3394-6930
  • Yaêko Matuda Magalhães CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI
  • Hugo França Queiroz CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI
  • Marcus D'Lucca Carioca CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI
  • Otávio Lopes Barbaresco CENTRO UNIVERSITÁRIO IMEPAC ARAGUARI
  • Lucivânia Marques Pacheco

DOI:

https://doi.org/10.47224/revistamaster.v6i12.172

Palavras-chave:

Vitiligo, Fisiopatologia, Imunologia, Autoimune

Resumo

O Vitiligo é uma micropigmentação dos tecidos cutâneos ocasionada pela destruição dos melanócitos, que afeta aproximadamente 1% da população mundial. A etiologia é desconhecida, mas existem teorias que explicam a situação: imunológica, citotóxica e neural. A principal evidência está relacionada aos aspectos imunológicos. Objetivo: Apresentar a fisiopatologia do vitiligo e explorar o mecanismo de resposta do sistema imunológico do doente. Metodologia: Foi realizado um levantamento bibliográfico nas bases SciELO, Google Acadêmico e Lilac’s, entre 2008-2014, com os descritores vitiligo, tratamento, diagnóstico, despigmentação, melanina, autoimune, fisiopatologia, imunologia e humanos e, após aplicados critérios de inclusão e exclusão foram selecionadas 4 pesquisas. Resultados: A análise dos artigos evidenciou que a causa está relacionada, principalmente, com fatores genéticos, autoimunes, bioquímicos, virais e ambientais. Apontou, também, que 20 a 30% dos pacientes com vitiligo têm ocorrências familiares positivas para a doença. Além disso, há relação entre a despigmentação da pele com a presença de anticorpos específicos no soro sanguíneo, sendo eles: tireóide peroxidase em maior prevalência que os anticorpos anti-nucleares. Conclusão: A causa mais aceita está relacionada à resposta imunológica. Porém, há necessidade de incremento de novos artigos relacionados à fisiopatologia, visto que o número encontrado foi escasso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, O. Vitiligo: fisiopatologia, diagnóstico e tratamento. 2016. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso (ciências farmacêuticas), Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA), Palmas, 2016.
INGORDO, V et al. Circulating autoantibodies and autoimmune comorbidities in vitiligo patients: a multicenter Italian study. Dermatology, v. 228, n.3, p. 240–249, 2014.
KASUMAGIC-HALILOVIC, E et al. Vitiligo and autoimmunity. Med Arch, v. 67, n. 2, p. 91–93, 2013.
NAI, G. A. et al. Imuno-histoquímica para o diagnóstico precoce de vitiligo. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial. v. 44, n. 5, p. 367-373, 2008.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

GRIPP, M. S. de M. .; SANTOS, M. C.; MELO, A. C. A. .; MAGALHÃES, Y. M. .; QUEIROZ, H. F. .; CARIOCA, M. D. .; BARBARESCO, O. L. .; MARQUES PACHECO, L. Vitiligo: estudo da fisiopatologia e da resposta imunológica. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, [S. l.], v. 6, n. 12, p. 18–20, 2021. DOI: 10.47224/revistamaster.v6i12.172. Disponível em: https://revistamaster.imepac.edu.br/RM/article/view/172. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos de revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)