Impacto da Literacia no Tratamento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Autores

  • Robson Rabelo IMEPAC ITUMBIARA
  • Alessandra Corrêa
  • Fernando Amorim
  • Fabio Neto
  • Daniel Portilho
  • Lucivania Marques Pacheco

DOI:

https://doi.org/10.47224/revistamaster.v8i16.434

Palavras-chave:

literacia, letramento em saúde, doença crônica não tramissível

Resumo

Literacia em Saúde (LS) ou Letramento Funcional em Saúde (LFS) é definido como a capacidade de obter, processar e compreender informações sobre saúde e autocuidado, e é considerado o sexto sinal vital para o sucesso do tratamento. O presente trabalho tem como objetivo identificar o impacto da Literacia em Saúde na adesão ao tratamento de doenças crônicas não transmissíveis. Foi realizada uma revisão integrativa da literatura utilizando artigos científicos na língua inglesa e portuguesa tanto do Brasil quanto de Portugal, os quais foram publicados nos últimos 6(seis) anos. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, foram selecionados 5(cinco) artigos que fundamentaram a narrativa da justificativa do trabalho. Os demais papers que faziam referência ao LFS nas diversas áreas da saúde, que consideraram a comunicação assertiva como fator preponderante para os cuidados com a saúde, adesão e o sucesso do tratamento, a posteriori, também foram incluídos. Conforme os resultados encontrados, o tema LFS é de suma importância, tendo em vista que a autopercepção do indivíduo sobre sua saúde, o entendimento e a capacidade de tomar decisões, bem como a adesão aos tratamentos propostos pode interferir na eficácia da intervenção terapêutica e no sucesso do tratamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

REFERÊNCIAS

ANTUNES, M. L. A., Literacia em Saúde: um investimento na promoção da saúde e na racionalização de custos. In: As bibliotecas da saúde, que futuro? XI Jornada APDIS, 2014. Disponível: <https://acaoeducativa.org.br/publicacoes/indicador-de-alfabetismo-funcional-inaf-brasil-2018/ > Acesso em: 26 maio 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Diretrizes e Recomendações para Cuidados Integrais de Doenças Não-Transmissíveis: Promoção da saúde, vigilância, prevenção e assistência. Brasília: MS; 2008.

CARVALHO, T.R; RIBEIRO, L.C. Associação entre Letramento Funcional em Saúde e Adesão ao Tratamento Medicamentoso da Hipertensão Arterial Sistêmica na Atenção Primária à Saúde. Revista Atenção Primária à Saúde, v. 23, n.04, Out./Dez 2020. DOI: https://doi.org/10.34019/1809-8363.2020.v23.16894

DE FULLIO, A.; SILVERMAN, K. O Uso de Incentivos para Reforçar a Adesão à Medicação. 2012 Nov;55 Supl(Suppl):S86-94. Disponível em: <10.1016/j.ypmed.2012.04.017> . Epub 2012 2 de maio. Acesso em 24 de maio de 2022.

DROUGMAGUET C. et Use of HbAIc in predicting progression to diabetes in French men and women: data from an Epidemiological Study on the Insulin Resistance Syndrome (DESIR). Diabetes Care. 2006.

LIMA, J.P; ABREU, D.P.G; BANDEIRA, E.O; et al. Letramento Funcional em Saúde e Fatores Associados em Pessoas Idosas. In: Revista Cogitare Enfermagem, v.24, 2019. DOI: https://doi.org/10.5380/ce.v24i0.63964

LIMA, M.F.G; VASCONCELOS, E.M.R; BORBA, A.K.O.T; et al. Fatores Associados ao Letramento Funcional em Saúde da Pessoa Idosa em Tratamento Pré-Dialítico. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 23, n.04, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-22562020023.200114

MARAGNO, C. A. D. Associação entre letramento em saúde e adesão ao tratamento medicamentoso. 2009. 41 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

Ministério da Saúde (BR). Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2011 [citado 2020 jun 12]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf Acesso em: 27 maio 2022

NETO, J.A.C et al. Letramento Funcional em Saúde nos Portadores de Doenças Cardiovasculares Crônicas. Ciência Saúde Coletiva. v. 24, n. 03, Mar 2017.

PASSAMAI, M. P. B. et. al. Letramento funcional em saúde: reflexões e conceitos sobre seu impacto na interação entre usuários, profissionais e sistema de saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação [online]. 2012, v. 16, n. 41 pp. 301-314. Disponível em:<https://doi.org/10.1590/S1414-32832012005000027>. Acesso em: 26 maio 2022 DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832012005000027

PETERSON P.N et.al. Health literacy and outcomes among patients with heart failure. JAMA, 305 (16): 1965-1701. 2011. DOI: https://doi.org/10.1001/jama.2011.512

ROCHA, M. R. et al. Letramento em saúde e adesão ao tratamento medicamentoso do diabetes mellitus tipo 2, 2019. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/ean/a/7j7GknpSjrKdbKVkqx5WR3B/?lang=pt> Acesso em: 26 maio 2022.

ROMERO, S.S., SCORTEGAGNA H. M. , DORING, M. Nível de letramento funcional em saúde e comportamento em saúde de idosos, 2018 Disponível em: https://www.scielo.br/j/tce/a/xHGstWqFTs8R48dPPM63YrS/?format=pdf&lang=p0t. Acesso em: 26 maio 2022

SCORTEGAGNA, H.M; SANTOS, P.C.S; SANTOS, M.I.P.O; Letramento Funcional em Saúde de Idosos Hipertensos e Diabéticos Atendidos na Estratégia Saúde da Família. Escola Anna Nery Revista Enfermagem, v. 25, n. 04, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2020-0199

SIMONDS, S. K. Health education as social policy. Health Education Monographs, 2(1), 1-10. 1974. DOI: https://doi.org/10.1177/10901981740020S102

SOUSA, L.C et. al. Fatores Associados ao Uso Não Urgente dos Serviços de Pronto Atendimento: uma Abordagem Multinível. Caderno de Saúde Coletiva. 28(1)Jan-Mar 2020 DOI: https://doi.org/10.1590/1414-462x202000280354

WHO - World Health Organization. Adherence to Long-term Therapies: evidence for action. 2003. WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Adherence to long-term therapies: evidence for action. Genebra: WHO, 2003a. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/42682/9241545992.pdf;jsessionid=2AB6BD49D1CD84023E37E20C61D5D09A?sequence=1 Acesso em: 28 maio 2022

Global status report on noncommunicable diseases 2014 [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2014. 298 p. Disponível em: <http://www.who.int/nmh/publications/ncd-status-report-2014/en/> Acesso em 16 maio. 2022.

Moraes, Katarinne Lima et al. Validação do Health Literacy Questionnaire (HLQ) para o português brasileiro. Acta Paulista de Enfermagem [online]. 2021, v. 34 , eAPE02171. Disponível em: <https://doi.org/10.37689/acta-ape/2021AO02171>. Epub 15 Mar 2021. ISSN 1982-0194. https://doi.org/10.37689/acta-ape/2021AO02171. Acessado 28 Maio 2022 DOI: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2021AO02171

PEDRO, A. R.; AMARAL,O.; ESCOVAL, ANA. Literacia em saúde: dos dados à ação: tradução, validação e aplicação do European Health Literacy Survey em Portugal. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 2016: 34(3):259-275 DOI: https://doi.org/10.1016/j.rpsp.2016.07.002

Downloads

Publicado

2023-12-14

Como Citar

RABELO, R.; CORRÊA, A.; AMORIM, F. .; NETO, F. .; PORTILHO, D. .; MARQUES PACHECO, L. . Impacto da Literacia no Tratamento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, [S. l.], v. 8, n. 16, 2023. DOI: 10.47224/revistamaster.v8i16.434. Disponível em: https://revistamaster.imepac.edu.br/RM/article/view/434. Acesso em: 14 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)