CONHECIMENTO DOS ESTUDANTES DE MEDICINA ACERCA DAS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

Autores

  • Vívian Laís de Lima Centro Universitário IMEPAC
  • Thayoana Nathalia Siqueira Centro Universitário IMEPAC
  • Verônica Leite Morais Centro Universitário IMEPAC
  • Hugo Zanetti Centro Universitário IMEPAC
  • Alexandre Gonçalves Centro Universitário IMEPAC

DOI:

https://doi.org/10.47224/revistamaster.v7i13.250

Palavras-chave:

Infecções sexualmente transmissíveis, estudantes de medicina, conhecimento

Resumo

Os jovens, que são maioria da população constituinte das universidades, são um grupo vulnerável às infecções sexualmente transmissíveis, devido a fatores variáveis, tais como o comportamento de risco e o desconhecimento sobre o assunto. Esse estudo visa analisar o nível de conhecimento e exposição ao risco de contágio por infecções sexualmente transmissíveis em estudantes de medicina. É um estudo transversal realizado em uma faculdade particular de Minas Gerais, com análise de questionários aplicados em amostra aleatória e estratificada do 1º ao 8º semestre do curso de medicina. No estudo, 72,23% já se colocou em risco à exposição a ISTs, sendo o principal fator o sexo sem uso de preservativo. Os participantes demonstraram bom conhecimento acerca do HPV e HIV, 93,21% têm conhecimento sobre a vacinação referente ao HPV, no entanto a inexistência da vacinação referente à hepatite C ainda é conflitante. 19,75% não sabem relacionar a IST ao agente causador. A partir desses resultados encontrados pode-se concluir que a maioria dos voluntários considera que, dentre as ISTs, têm conhecimento suficiente principalmente sobre o HIV. Assim, é importante  a existência de um programa de intervenção para maior conscientização dos voluntários, principalmente, por se tratar de futuros profissionais de saúde que atuarão tanto na prevenção quanto no tratamento das ISTs.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vívian Laís de Lima, Centro Universitário IMEPAC

Graduanda em medicina pelo Centro Universitário IMEPAC

Thayoana Nathalia Siqueira, Centro Universitário IMEPAC

Graduanda em medicina pelo Centro Universitário IMEPAC

Verônica Leite Morais, Centro Universitário IMEPAC

Graduanda em medicina pelo Centro Universitário IMEPAC

Hugo Zanetti, Centro Universitário IMEPAC

Graduado em Educação Física pela Universidade Presidente Antônio Carlos Araguari/MG (2012). Especialista em Fisiologia do Exercício, Treinamento Funcional e Grupos Especiais pelo Centro Universitário de Volta Redonda/RJ (2013). Especialista em Necessidades Especiais pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) (2014). Mestre em Educação Física pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (2016). Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Uberlândia (2019). Pós-doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Fìsica da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. É Coordenador Adjunto do projeto VIDA+: Programa de exercício físico para pessoas com HIV. É membro do Brazilian Network of Research in Meta-analysis (BRAMETIS), do Grupo de Estudo em Cardiologia e Exercício (CARDIOEX-UFU) e da Liga Acadêmica de Fisiologia do Exercício Clínico (LAFEC-IMEPAC). Atualmente é Coordenador e Professor Nível 3 C-I do curso de Educação Física, além de atuar nos cursos de Enfermagem, Medicina e Psicologia do Centro Universitário IMEPAC/Araguari e no curso de Medicina IMEPAC/Itumbiara. 

Alexandre Gonçalves, Centro Universitário IMEPAC

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Uberlândia (1999), especialização em Bases Fisiológicas do Treinamento Fisico pela Universidade de Ribeirão Preto(2001), mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Uberlândia (2005) e doutorado (2014) em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (2009-2014). Pós doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Uberlândia (2016-2018). Atualmente é professor do Curso de Medicina do Centro Universitário Presidente Antonio Carlos/IMEPAC Araguari/MG e Faculdade IMEPAC de Itumbiara/GO. Professor convidado do Centro Universitário Atenas/UNIATENAS de Paracatu/MG. 

Referências

ALVES, B. S.; NASCIMENTO, G. L. Conhecimento e atitudes de homens universitários acerca do papiloma vírus humano (HPV) em um centro universitário de Brasília. 2018. 22 p. Trabalho de conclusão de curso, Faculdade de Ciências da Educação e Saúde Graduação em Enfermagem - Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2018. Disponível em: https://repositorio.uniceub.br/jspui/bitstream/prefix/13041/1/21496603.pdf. Acesso em: 24 ago. 2019.

RIBEIRO, A. et al. Hepatite B: Conhecimento e Prática dos Alunos de Odontologia da UFPB. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, v. 7, n. 3, p. 211-216, 2007. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/637/63770303.pdf. Acesso em: 17 nov. 2011.

AQUINO, P. S.; BRITO, F. E. V. Perfil sexual de adolescentes universitários de um curso de graduação em enfermagem. Rev. mineira de enferm., v. 16, n. 3, 2012. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/534. Acesso em: 22 ago. 2019.

ARAGÃO, J. C. S.; LOPES, C. S.; BASTOS, F. I. Comportamento Sexual de Estudantes de um Curso de Medicina do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 35, n. 3, p. 334-340, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v35n3/a06v35n3.pdf. Acesso em: 21 ago. 2019.

ARAGÃO J. Introdução aos estudos quantitativos utilizados em pesquisas científicas. Revista práxis ano III, Volta Redonda – RJ, v.3, n. 6, 2011. Disponível em: http://revistas.unifoa.edu.br/index.php/praxis/article/view/566/0. Acesso em: 01 set. 2019.

ARAÚJO, D. S. et al. Práticas de sexo seguro e prevenção de DST/AIDS: conhecimento de jovens recém-ingressos em uma instituição de ensino superior. Rev. De Enf. Da UFPI, Maceió-AL, v. 1, n. 1, p. 36-63, 2012. Disponível em: https://ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/710/624. Acesso em: 25 ago. 2019.

AZEVEDO, J. Infecções Sexualmente Transmissíveis. Rev. Sexualidade e Planeamento Familiar, Lisboa, n. 50/51, p. 43-45, 2008. Disponível em: http://www.apf.pt/sites/default/files/media/2016/sex.plan_._familiar_50_51.pdf. Acesso em: 01 set. 2019.

BASTOS, J. L. D.; DUQUIA, R. P. Um dos delineamentos mais empregados em epidemiologia: estudo transversal. Rev. Scientia Médica, Porto Alegre, v. 17, n. 4, p. 229-232, 2007. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/%20scientiamedica/article/viewFile/2806/2634. Acesso em: 02 set. 2019.

BORGES, M. R. et al. Comportamento sexual de ingressantes universitários. Rev. Cuidado é fundamental, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p. 3-10, 2015. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/5057/505750946027.pdf. Acesso em: 27 ago. 2019.

BORNEA, E. R.; GONCALVES, A.; PADOVANI, C. R. Avaliando conhecimento em DST de graduandos em medicina segundo a taxonomia de bloom. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro, v. 38, n. 1, p. 25-30, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022014000100004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 ago. 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: HIV Aids. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2018/boletim-epidemiologico-hivaids-2018. Acesso em: 17 mai. 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: Sífilis. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/13/BE-2017-038-Boletim-Sifilis-11-2017-publicacao-.pdf . Acesso em: 18 mai. 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico. Brasília, DF, v. 48, n. 1, p. 2-10, 2017. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/janeiro/05/2016_034-Aids_publicacao.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis. Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_clinico_diretrizes_terapeutica_atencao_integral_pessoas_infeccoes_sexualmente_transmissiveis.pdf. Acesso em: 16 mai. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Brasília, DF, 2020. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2015/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-atencao-integral-pessoas-com-infeccoes. Acesso em: 10 nov. 2021.

BRENNA, S. M. F. et al. Prevalência do polimorfismo do códon 72 P53 em mulheres brasileiras com câncer de colo do útero. Genética e Biologia Molecular, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 496-499, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-47572004000400005. Acesso em: 04 set. 2019.

BRÊTAS, J. R. S. et al. Conhecimento sobre DST/AIDS por estudantes adolescentes. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 551-557, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43n3/a08v43n3. Acesso em: 20 ago. 2019.

BURD, E. M. Papilomavírus humano e câncer cervical. Revisões de microbiologia clínica, Maryland, v. 16, n. 1, p. 1-17, jan. 2003. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12525422. Acesso em: 03 set. 2019.

CASTRO, E. L. de. et al. O conhecimento e o ensino sobre doenças sexualmente transmissíveis entre universitários. Ciência & Saúde Coletiva, 2016, v. 21, n. 6, pp. 1975-1984. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/csc/a/trKSmLBwFPd3LC4x64N4Tnf/?lang=pt#>. Acesso em: 10 nov. de 2021.

CUNHA, A. C. S. et al. Percepção e conhecimento dos estudantes de medicina acerca do HIV e da AIDS. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v. 10, n. 1, p. 21-29, 2020. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/5704/570467613004/html/. Acesso em: 10 nov. 2021.

DESSUNTI, E. M.; REIS, A. O. A. Fatores psicossociais e comportamentais associados ao risco de DST/AIDS entre estudantes da área de saúde. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 15, n. 2, p. 267-274, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692007000200012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 ago. 2019.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Número de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) aumenta. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/565-numero-de-infeccoes-sexualmente-transmissiveis-ist-aumenta. Acesso em: 25 ago. 2019.

FERNANDES, M. A. Infecções sexualmente transmissíveis e as vivências de mulheres em situação de reclusão. Rev. Enferm. UERJ, Rio de Janeiro; v. 24, n. 6, 2016. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v24n6/v24n6a13.pdf. Acesso em: 16 mai. 2019.

FERREIRA, M. P. Nível de conhecimento e percepção de risco da população brasileira sobre o HIV/Aids, 1998 e 2005. Rev. Saúde Pública, 2008, v. 42 (Supl 1), p. 65-71. Disponível em: <https://www.scielosp.org/pdf/rsp/2008.v42suppl1/65-71/pt>. Acesso em: 10 nov. 2021.

FONTE, V. R. F. et al. Jovens universitários e o conhecimento acerca das infecções sexualmente transmissíveis. Escola Anna Nery, v. 22, n. 2, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n2/pt_1414-8145-ean-22-02-e20170318.pdf. Acesso em: 17 jun. 2019.

GIR, E. et al. Biossegurança em DST/AIDS: condicionantes da adesão do trabalhador de enfermagem às precauções. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 38, n. 3, p. 245-253, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342004000300002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 mai. 2019.

GRAMA, DF. Prevalência e fatores de risco para Trichomonas vaginalis em mulheres atendidas em unidades de saúde pública no município de Uberlândia-MG e comparação entre técnicas de diagnóstico. 2016. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/16667/1/Diss Daliane.pdf. Acesso em: 10 nov. 2021.

GUSE, L. E. C.; SILVA, M. F. P. T. B; MARTINEZ, A. C. Avaliação do nível de conhecimento de acadêmicos universitários a respeito do papilomavírus humano. Rev. de Ciência Veterinária e Saúde Pública, v. 1, n. 1, p. 40-46, 2014. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/287136336. Acesso em: 27 ago. 2019.

HOLMES, Richard. Doenças sexualmente transmissíveis.Nova Iorque: McGraw Hill, 4ed. 2008.

JACOBOWSKI, B.; JUNG, G. S.; TEVISOL, F. S. Comportamento de Risco para HIV e DST entre Professores Universitários, Tubarão - SC, p. 205-205, 2010. Disponível em: http://www.dst.uff.br/revista22-4-2010/6%20-%20Comportamento%20de%20risco%20para%20DST.pdf Acesso em: 18 mai. 2019.

OLIVEIRA, CÉLIA FIGUEIREDO DE; Detecção de marcadores sorológicos para hepatite A,B e C associados ao perfil epidemiológico em uma população de estudantes universitários no interior de São Paulo - SP, Célia Figueiredo de Oliveira. Campinas, SP : [s.n.], 2010.

OSIS, M. J. D.; DUARTE, G. A. S.; SOUZA, M. H. Conhecimento e atitude de usuários do SUS sobre o HPV e as vacinas disponíveis no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 48, n. 1, p. 123-133, 2014. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005026>. Acesso em: 17 nov. 2021.

PANOBIANCO, M. S. et al. Knowledge concerning HPV among adolescent undergraduate nursing students. Texto & Contexto - Enfermagem. 2013, v. 22, n. 1, p. 201-207. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072013000100024. Acesso em: 17 ago. 2019.

PEREIRA, R. G. V. et al. A influência do conhecimento sobre a vacina contra o Papilomavírus Humano: um ensaio clínico randomizado. ABCS Health Sciences, v. 41, n. 2, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.7322/abcshs.v41i2.873. Acesso em: 17 nov. 2021.

REIS, M. S. P, Promoção da Saúde Sexual em Jovens Universitários Portugueses - Conhecimentos e Atitudes Face à Contracepção e a Prevenção das ISTs. 2012. 304. Dissertação elaborada para obtenção do Grau de Doutor em Ciências da Educação, Especialidade Educação para a Saúde. Universidade Técnica de Lisboa, Portugal, 2012.

RODEN, R. B.; LING, M.; WU, T. C. Vacinação para prevenir e tratar o câncer do colo do útero. Patologia Humana, Rio de Janeiro, v. 35, n. 8, p. 971-982, ago. 2004. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0046817704002291?via%3Dihub. Acesso em: 06 set. 2019.

SALES, Willian. B.; CAVEIÃO, Cristiano; et al. Comportamento sexual de risco e conhecimento sobre IST/SIDA em universitários da saúde. Revista de enfermagem referência, Coimbra, série IV, n. 10, jul./ago./set. 2016. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/ref/vserIVn10/serIVn10a03.pdf. Acesso em: 20 ago. 2019.

SANTOS, V. P.; COELHO, M. T. A. D. et al. Existe relação entre o conhecimento de estudantes a respeito das formas de contágio do HIV/AIDS e suas respostas sobre a proximidade com soropositivos?. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 8, p. 2745-2752, 2017. Disponível em: https://scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017000802745#. Acesso em: 17 ago. 2019.

SANTOS, L. M. et al . Prevalência da infecção endocervical de Chlamydia trachomatis em universitárias do estado do Pará, Região Amazônica, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude, Ananindeua , v. 8, n. 3, p. 27-33, 2017 . Disponível em <http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-62232017000300027&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 10 nov. 2021.

SPINDOLA, T.. et al. Dialogando com estudantes universitários sobre as infecções sexualmente transmissíveis. Interagir: pensando a extensão, Rio de Janeiro, n. 24, p. 60-68, jul./dez. 2017. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/interagir/article/view/22203/23962. Acesso em: 18 mai. 2019.

UNAIDS. Estatísticas: estatísticas globais sobre HIV. 2019. Disponível em: https://unaids.org.br/estatisticas/. Acesso em: 24 ago. 2019.

Downloads

Publicado

2022-08-24

Como Citar

LIMA, V. L. de; SIQUEIRA, T. N.; MORAIS, V. L. .; ZANETTI, H.; GONÇALVES, A. CONHECIMENTO DOS ESTUDANTES DE MEDICINA ACERCA DAS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS. Revista Master - Ensino, Pesquisa e Extensão, [S. l.], v. 7, n. 13, p. 34–40, 2022. DOI: 10.47224/revistamaster.v7i13.250. Disponível em: https://revistamaster.imepac.edu.br/RM/article/view/250. Acesso em: 21 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)